12.10.16

Quais Os Deputados Petistas Que Votaram Contra A PEC Anti Pedaladas?

Lista de deputados que votaram contra a PEC 241, cúmplices do PT são a maioria

Não é nem preciso dizer que a PEC 241 é necessária para garantir que novos governos irresponsáveis façam o que Dilma fez e para que passe segurança aos investidores e empresários que geram empregos.
Lista de deputados contra a responsabilidade do governo federal
Quanto à mentira que faltará dinheiro para a saúde e educação, ela se quebra, pois falta dinheiro quando irresponsáveis quebram um país como os companheiros de petistas mal-intencionados fizeram na Venezuela. Outra coisa é que os repasses aos governos de estado não são atingidos pela PEC, permitindo que estes invistam mais em educação e saúde e até que o Governo Federal faça repasses para os mesmos. Assim, o que petistas dissimulados e outros da extrema-esquerda querem é garantir que no futuro eles tenham a chance de governar inchando o estado com mais e mais tetas para assim destruírem a democracia, coisa que quase conseguiram.

São 111 deputados que votaram contra a PEC Anti-Pedaladas, veja:

  1. Janete Capiberibe (PSB-AP)
  2. Professora Marcivania (PCdoB-AP)
  3. Arnaldo Jordy (PPS-PA)
  4. Beto Faro (PT-PA)
  5. Edmilson Rodrigues (PSOL-PA)
  6. Zé Geraldo (PT-PA)
  7. Expedito Netto (PSD-RO)
  8. Angelim (PT-AC)
  9. César Messias (PSB-AC)
  10. Leo de Brito (PT-AC)
  11. Professora Dorinha Seabra Rezende DEM-TO)
  12. Eliziane Gama (PPS-MA)
  13. Rubens Pereira Júnior (PCdoB-MA)
  14. Weverton Rocha (PDT-MA)
  15. Zé Carlos (PT-MA)
  16. André Figueiredo (PDT -CE)
  17. Chico Lopes (PCdoB -CE)
  18. José Airton Cirilo (PT -CE)
  19. José Guimarães (PT -CE)
  20. Leônidas Cristino (PDT -CE)
  21. Luizianne Lins (PT -CE)
  22. Odorico Monteiro (PROS -CE)
  23. Vicente Arruda (PDT -CE)
  24. Assis Carvalho (PT-PI)
  25. Zenaide Maia (PR-RN)
  26. Luiz Couto (PT-PB)
  27. Danilo Cabral (PSB-PE)
  28. Gonzaga Patriota (PSB-PE)
  29. João Fernando Coutinho (PSB-PE)
  30. Luciana Santos (PCdoB-PE)
  31. Tadeu Alencar (PSB-PE)
  32. Wolney Queiroz (PDT-PE)
  33. JHC (PSB-AL)
  34. Paulão (PT-AL)
  35. Ronaldo Lessa (PDT-AL)
  36. Bosco Costa (PROS-SE)
  37. João Daniel (PT-SE)
  38. Afonso Florence (PT-BA)
  39. Alice Portugal (PCdoB-BA)
  40. Caetano (PT-BA)
  41. Daniel Almeida (PCdoB-BA)
  42. Félix Mendonça Júnior (PDT-BA)
  43. Jorge Solla (PT-BA)
  44. Moema Gramacho (PT-BA)
  45. Nelson Pellegrino (PT-BA)
  46. Valmir Assunção (PT-BA)
  47. Waldenor Pereira (PT-BA)
  48. Adelmo Carneiro Leão (PT-MG)
  49. George Hilton (PROS-MG)
  50. Jô Moraes (PCdoB-MG)
  51. Júlio Delgado (PSB-MG)
  52. Leonardo Monteiro (PT-MG)
  53. Margarida Salomão (PT-MG)
  54. Padre João (PT-MG)
  55. Reginaldo Lopes (PT-MG)
  56. Padre João (PT-MG)
  57. Patrus Ananias (PT-MG)
  58. Subtenente Gonzaga (PDT-MG)
  59. Weliton Prado (PMB-MG)
  60. Givaldo Vieira (PT-ES)
  61. Helder Salomão (PT-ES)
  62. Alessandro Molon (REDE-RJ)
  63. Benedita da Silva (PT-RJ)
  64. Cabo Daciolo (PTdoB-RJ)
  65. Chico Alencar (PSOL-RJ)
  66. Chico D Angelo (PT-RJ)
  67. Clarissa Garotinho (PR-RJ) - Alguém lembra que queria se isentar da votação do impeachment para, a pedido do pai, ajudar salvar Dilma?
  68. Fabiano Horta (PT-RJ)
  69. Glauber Braga (PSOL-RJ)
  70. Jandira Feghali (PCdoB-RJ)
  71. Jean Wyllys (PSOL-RJ)
  72. Luiz Sérgio (PT-RJ)
  73. Miro Teixeira (REDE-RJ)
  74. Walney Rocha (PEN-RJ)
  75. Ana Perugini (PT-SP)
  76. Andres Sanchez (PT-SP)
  77. Arlindo Chinaglia (PT-SP)
  78. Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP)
  79. Carlos Zarattini (PT-SP)
  80. Ivan Valente (PSOL-SP)
  81. José Mentor (PT-SP)
  82. Luiza Erundina (PSOL-SP)
  83. Major Olimpio (Solidariedade-SP)
  84. Nilto Tatto (PT-SP)
  85. Orlando Silva (PCdoB-SP)
  86. Paulo Teixeira (PT-SP)
  87. Valmir Prascidelli (PT-SP)
  88. Vicente Candido (PT-SP)
  89. Vicentinho (PT-SP)
  90. Ságuas Moraes (PT-MT)
  91. Erika Kokay (PT-DF)
  92. Rôney Nemer (PP-DF)
  93. Rubens Otoni (PT-GO)
  94. Dagoberto (PDT-MS)
  95. Vander Loubet (PT-MS)
  96. Zeca do Pt (PT-MS)
  97. Aliel Machado REDE-PR)
  98. Assis do Couto (PDT-PR)
  99. Enio Verri (PT-PR)
  100. Marcelo Belinati (PP-PR)
  101. Angela Albino (PCdoB-SC)
  102. Carmen Zanotto (PPS-SC)
  103. Décio Lima (PT-SC)
  104. Pedro Uczai (PT-SC)
  105. Afonso Motta (PDT-RS)
  106. Bohn Gass (PT-RS)
  107. Heitor Schuch (PSB-RS)
  108. Henrique Fontana (PT-RS)
  109. Jose Stédile (PSB-RS)
  110. Marco Maia (PT-RS)
  111. Marcon (PT-RS)
  112. Pepe Vargas (PT-RS)
Fonte: http://www.camara.leg.br/internet/votacao/mostraVotacao.asp?ideVotacao=7214&numLegislatura=55&codCasa=1&numSessaoLegislativa=2&indTipoSessaoLegislativa=O&numSessao=251&indTipoSessao=E&tipo=uf


São na maioria gritante, políticos inconsequentes e apoiadores da irresponsabilidade petista, pois é o joguinho do PT que eles jogam. Veja algumas das vantagens da PEC antipedalada que desmentem parte do que mente o PT, pois desmentir tudo é impossível, leia o que publicou o Planalto:
"...a nova regra não tem qualquer impacto na educação para 2017, o primeiro ano de vigência da PEC. “O gasto da educação vai seguir a regra constitucional que determina que 18% de tudo o que o governo arrecada tem de ser aplicado em educação. Nos anos seguintes, o valor mínimo a ser aplicado será corrigido pela inflação”, explicou.

No caso da saúde, informou o secretário, o orçamento da área aumentará. A regra atual determina que 13,7% da arrecadação deveria ser aplicada na área. Com a PEC, o percentual de 15%, que estava previsto anteriormente para ser atingido em 2020, vira realidade no próximo ano. Assim, o valor mínimo a ser investido em saúde vai crescer R$ 10 bilhões.

O secretário ressaltou, porém, que, a partir de 2018, os pisos para educação e saúde passam a ser corrigidos pela inflação do ano anterior".

Fonte: www2.planalto.gov.br/acompanhe-planalto/noticias/2016/10/saude-e-educacao-estao-protegidas-no-texto-da-PEC-241

3 comentários:

  1. Cara vai trabalhar área da saúde ou educação pq dentro desses orçamentos não tem a mínima condições de cumprir com a sociedade, pq não reduzir os privilégios dos políticos incluindo todo e qualquer gasto do próprio salário, não é assim que fazem médicos, professores e pais de família assalariado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se é que você leu a PEC, provavelmente não entendeu, vejo isso pela sua incapacidade de perceber que a PEC não impede cortes de privilégios aos políticos, uma coisa não impede a outra.
      Quanto à sua afirmação mentirosa de que "dentro desses orçamentos não tem a mínima condições de cumprir com a sociedade", é tão sem fundamentos que você jamais conseguiria provar. Você apenas se atém em repetir mentiras de papagaios petistas. Alguns dos números que lhe desmente estão acima, os valores serão corrigidos pela inflação. Também é bom lembrar que, a PEC não impede repasses do Governo Federal aos governos estaduais e municípios caso a União tenha condições(arrecade muito) e estes usem na saúde e educação.
      Por fim, não ter limites de gastos permite que maus gestores gastem em coisas não essenciais e até supérfluas. O Brasil não tem condições de esbanjar até aquilo que não arrecada como fizeram os governos do PT, terá que buscar eficiência com o "pouco" que tem e não sair colocando tudo no 'cartão de crédito chamado dívida pública', que só cresce, fica no 'negativo'.
      A PEC poderia chamar-se "PEC anti-clePTocrata" ou "PEC do fim do mundo para PTralhas".

      Excluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...